Quarta-feira (8/6), 19h30, trânsito parado em Belo Horizonte (MG). Uma greve de professores estaduais congestiona as principais vias de acesso como a Avenida do Contorno. Por puro reflexo o jornalista Bruno Freitas olha para o lado e enxerga no meio de um emaranhado de carros dois protótipos de testes do Nissan Sunny. Sem ter como ir atrás já que estava em sentido contrário, liga para a redação e informa seu achado. Eu não estava na editoria de Veículos, já que estava fechando Internacional, nisso o celular tocou e do outro lado o jornalista Enio Greco relata a presença dos vistantes mexicanos na capital mineira.

Na hora, não pude fazer nada, apenas fui a editoria de Veículos e ficamos especulando se valia a pena ir atrás ou não, já que o trânsito estava travado. Esperei o fechamento da edição passar e liguei novamente para o Bruno afim de confirmar em qual sentido os carros seguiam, para então selecionar os hotéis da região na tentativa de localizar os protótipos do Nissan Sunny.

Como sempre digo: as vezes temos que contar com a sorte. Ligo no primeiro hotel de minha lista de possibilidades, do outro lado da linha uma simpática funcionária atende e eu pergunto “moça preciso de sua ajuda, trabalho numa concessionária Nissan e meu chefe pediu para encontrar com os engenheiros da marca, mas, infelizmente eu esqueci os nomes”. Sem pestanejar, ela diz que sem o nome do hóspede não tem como localizar, nisso eu falo as palavras mágicas, “sei que eles estão nuns carros camuflados”.  “Ah, hoje a tarde tinha um carro branco camuflado aqui”. Era a minha deixa para seguir para o hotel.  Chego por volta das 23h e vou direto ao encarregado do estacionamento, jogo limpo de imediato. “Cara tenho que fotografar os carros camuflados que estão no estacionamento”. Ele responde: “sem chance, os carros estão tampados, não dá”. Agradeço e digo a ele que voltaria no outro dia.

Sem ter conseguido o objetivo volto para casa e vou dormir, já são 00h30, coloco o relógio para despertar às 4 horas. Quinta-feira (9/6) 5 horas em ponto, estou na porta do hotel depois de ficar em pé por mais de três horas e meia. Começo a duvidar que os protótipos ainda estejam no hotel. Decido subir ao estacionamento com a desculpa que estou esperando um amigo, o que já basta para ter a visão dos carros e ver que os engenheiros estavam se preparando para sair. Desço e aguardo por mais meia-hora e às 9 horas em ponto sou recompensado com o primeiro protótipo a sair da garagem do hotel.

As pouco mais de três horas de sono e as mais de quatro horas em pé sem ao menos piscar os olhos, não são nada se comparados a adrenalina de registrar o primeiro flagra do Nissan Sunny em testes no Brasil. Os protótipos eram avaliados por engenheiros mexicanos e pelo que percebi eles ficaram sem ação ao me ver descarregando a máquina em cima deles.

O Sunny compartilha a mesma arquitetura do hatch March, que já é produzido no México, na fábrica de Aguascalientes, e tem previsão de lançamento para outubro. Já o sedã apesar de a Nissan não confirmar será lançado no Brasil até o segundo semestre de 2012. O modelo faz parte da ofensiva da marca japonesa para ter maior volume de participação no mercado nacional. A marca quer agora abocanhar uma fatia no segmento de modelos de entrada.

O Nissan Sunny foi apresentado na China no fim de 2010 e o carro é construído a partir da nova palataforma “V” que a marca chama de versátil. O modelo que será comercializado no Brasil é a versão americana produzida no México, apresentada no Salão de Nova York realizado em abril. No mercado americano o sedã será comercializado com o nome Versa. Os preços do modelo devem ficar na casa de R$ 38 mil para versão de entrada e R$ 43 mil para a versão topo de linha.

No visual externo o Sunny apesar de não ter os mesmo faróis do March o sedã mantém o estilo espichado como no hatch. Ainda na dianteria o modelo tem um vinco que começa no capô e desce até o para-choque. Nas laterais há um vinco profundo que começa no para-lama dianteiro e termina no traseiro acompanhando o desenho das lanternas traseiras, que invadem a lateral em forma de bumerangue. O teto conta com uma caída acentuada e a traseira tem a tampa do porta-malas curta, sendo que o vidro traseira amplo deve ajudar na visibilidade, já que o Sunny tem a coluna C mais larga.

A Nissan irá posicionar o Sunny no Brasil como modelo compacto.Apesar disto o sedã tem dimensões de carros maiores. São 4,45 metros de comprimento, 2,60m de distância de entre-eixos, 1,50m de altura e 1,69m de largura. O porta-malas está na média da concorrência, com 420 litros de capacidade de carga.

INTERIOR No Brasil a marca deve manter a mesma nomenclatura S e SL usadas em outros modelos para diferenciar as opções de acabamento. Das duas unidades flagradas, uma era versão topo de linha e outra, básica. A provável SL era o protótipo vermelho que tinha espelhos retrovisores pintados na cor da carroceria e rodas de liga leve. O interior dessa unidade é mais requintado com os forros de portas com detalhes de acabamento em tecido. Já a unidade branca que deverá ser a S contava roda de ferro e calotas, além de maçanetas, retrosvisores na cor preta e as forrações das portas eram 100% revestidas em plástico. Pelo flagra o painel será o mesmo do March e mesmo sendo construído de plástico duro aparentavem ser de boa qualidade. O rádio CD/Player MP3 é o mesmo de outros Nissan.

MECÂNICA O sedã conta com suspensão MacPherson na dianteira e barra de torção traseira. Na motorização o Sunny deverá ter somente a opção 1.6 16V Flex com comando de válvulas variável. Estima-se que o motor tenha potência de 110cv. As unidades estavam calçadas com rodas de aro 15 e pneus de medida 185/65. Agradeço ao Bruno por seu olhar atento, pois, senão fosse isso os Sunnys passariam despercebidos na capital mineira.

Galeria

(Clique nas imagens para ampliar)

Fotos | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter