Olá amigos,
Acredito que a grande maioria dos que visitam o Autos Segredos sabem que eu trabalho no caderno de Veículos do jornal Estado de Minas, empresa que faz parte dos Diários Associados. Em função disto tenho a oportunidade de andar na maioria dos lançamentos da indústria automobilística para o mercado nacional.

Nos últimos dias foram vários como Ford New Fiesta, Dodge Journey, Volkswagen EOS entre outros modelos. E, como sempre faço levo sempre toda a família para conhecer as novidades, tempos atrás eram somente eu e minha esposa, mas, no último dia 8 de agosto a família cresceu com a chegada do João Pedro. Assim, ele também tem que “conhecer” todos os novos modelos. Mas, é claro que sempre a bordo do seu bebê conforto da marca Burigotto. O equipamento já foi testado em todos os modelos citados acima, além do meu Fiat Palio Fire Economy.

Já na última quinta-feira chegou a vez de darmos umas voltas no recém lançado Citroën Aircross, mas, ao tentar instalar o bebê conforto do João Pedro nos cintos de três pontas do banco traseiro do modelo, constatei que o equipamento de segurança era curto e impedia a instalação correta do bebê conforto. Em função disto alertei meus editores Paulo Eduardo e Boris Feldman sobre o fato. Em seguida entramos em contato com a Citroën e o fabricante constatou em testes internos que faltava meio metro no cinto de segurança para cumprir a função em todos os modelos de cadeiras infantis à venda no país nas 300 primeiras unidades do Aircross.

Entretanto, a marca francesa agiu rápido e informa que a partir de agora, todos os modelos produzidos que começam a chegar ao mercado na segunda quinzena de outubro já terão novo cinto de segurança denominado de estendido. Já os 300 primeiros Aircross destinados aos funcionários da marca, as revendas para realização dos testes drives e para jornalistas só poderão ser comercializados posteriormente, mediante a troca do cinto de segurança. Parabéns ao João Pedro pela descoberta, pena, que ele não teve o prazer de andar no Aircross.

Abaixo segue a reprodução da nota que foi veiculada hoje na Coluna do Boris no Estado de Minas:

CALÇA CURTA
Os cintos de três pontos traseiros do Citroën Aircross cedido para testes estavam curtos para segurar corretamente a cadeirinha bebê conforto. A Citroën informou que faltava meio metro de fita para que o dispositivo de segurança pudesse cumprir a função em todos os modelos de cadeiras infantis à venda no país. O tipo de cinto curto equipa as 300 primeiras unidades do Aircross, que foram entregues a funcionários, para test-drive na rede de concessionários e para jornalistas. Alertada por Veículos, a direção da empresa agiu rápido e todos os Aircross passarão a ser equipados com o cinto denominado estendido, já que em outros modelos da marca não houve problemas para instalar corretamente a mesma cadeirinha. O fabricante informou ainda que nenhum dos 300 Aircross poderão ser comercializados posteriormente pelos funcionários sem que o cinto curto tenha sido substituído pelo estendido, evitando assim aborrecimentos aos clientes Citroën. A mancada foi detectada pelo jornalista Marlos Ney Vidal, fotógrafo e considerado hoje o grande especialista em desvendar segredos de fábrica no Mercosul. Pois é, ao tentar fixar a cadeirinha no banco traseiro para transportar seu filho João Pedro, de apenas um mês e meio de idade, o jornalista detectou o problema. Se o filho seguir os passos do pai, os fabricantes de automóveis que se cuidem…

Foto Marlos Ney Vidal/Autos Segredos e Reprodução de página do Estado de Minas

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter