Hoje o leitor Jheyzon Paulino nos avisou sobre aumento de preços para os Fiat Freemont e 500. Poderíamos simplesmente reproduzir os novos preços. Porém, os ajustes foram consideravelmente altos, por isso entrei em contato com o fabricante para saber a justificativa.

 

A montadora afirma que o reajuste é devido a ao repasse dos “sobrecustos decorrentes do sistema de tributação dos modelos trazidos do México”. Mas, na prática apesar de não ter havido nenhum custo extra em termos de tributação, já que pelo novo acordo do Brasil com o México cada montadora tem direito a uma determinada cota, a Fiat precisou rever seus custos ou a “estrutura dos cálculos fixos e variáveis”.

A empresa explica que a equação de preço do produto mudou, uma vez que a projeção de vendas será diferente do programado antes da limitação por cotas. Com isso os dois modelos mexicanos estão mais caros. A versão de entrada do 500 foi de R$ 40.590 para R$ 45.460; enquanto o Freemont, que custava a partir de R$ 82.470, vai para R$ 87.800. Resumo da ópera, o governo muda as regras do jogo e quem paga a conta como sempre é o consumidor.

Confira abaixo quanto era e para quanto foi o preço de cada versão dos modelos:

  • 500 Cult – R$ 40.590 para R$ 45.650
  • 500 Cult Dualogic – R$ 43.630 para R$ 48.800
  • 500 Sport Air 1.4 16V – R$ 49.190 para R$ 54.100
  • 500 Sport Air 1.4 16V automático – R$  53.320 para R$ 58.550
  • 500 Lounge Air 1.4 16V automático – R$ 55.240 para  R$ 60.800
  • Freemont Emotion – R$ 82.470 para R$ 87.800
  • Freemont Precision – R$ 87.290 para R$ 93.400

Fotos | Fiat/reprodução

(*) Com colaboração da jornalista Paula Carolina

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter