A Opel pretende ampliar a participação em outros continentes. O anúncio foi feito por Nick Reilly, presidente da General Motors na Europa. A estratégia da marca inclui exportações para Israel ainda em maio e para Argentina e Chile até o fim de 2011. Posteriormente, os veículos da empresa serão comercializados na China e na Austrália. O Brasil, contudo, não foi mencionado pelo executivo, o que indica que o país está fora dos planos de expansão global.

Os produtos da Opel já foram bastante conhecidos pelos brasileiros. Nos anos de 1990, os automóveis que a Chevrolet vendia por aqui derivavam de modelos concebidos pela subsidiária europeia. Durante a primeira década do século XXI, contudo, a marca optou por desenvolver alguns veículos localmente e trouxe, com atraso, pouquíssimas novidades do velho continente, em parte devido à crise econômica que assolou a matriz nos Estados Unidos. Agora, a linha nacional passará por uma profunda reestruturação, mas com projetos vindos da Ásia e da América do Norte.

Não é a primeira vez que executivos da empresa mencionam a expansão para outros mercados. O próprio Nick Reilly havia falado sobre o assunto em maio de 2010. Jaime Ardila, presidente da General Motors na América do Sul, também deu declarações, em março de 2011. Natualmente, os produtos da Opel estão bem mais sofisticados do que há uma ou duas décadas atrás. Acabamento caprichado, equipamentos eletrônicos em abundância e motores turbo-alimentados são comuns na atual gama da marca.

Fonte |

Foto | Opel/Divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter

Quer equipar seu auto? Compare os preços antes no