Há tempos em seus planos, a Fiat enfim conseguiu fechar acordo para adquirir os 41,5% das ações do Grupo Chrysler que ainda não possuía e torna-se agora a única proprietária do grupo norte-americano. Este percentual pertencia ao “United Auto Workers” (UAW), sindicato dos trabalhadores da indústria automotiva norte-americana.

Pelo restante das ações o UAW receberá um total de US$ 3,65 bilhões, sendo que a Fiat pagará US$ 1,7 bi de pronto e o restante será pago com os dividendos da própria Chrysler. O negócio será fechado efetivamente no próximo dia 20 de janeiro.

Com 100% das ações do Grupo Chrysler (que ainda engloba SRT, Dodge, Jeep, RAM e Chrysler) em mãos o Grupo Fiat (Ferrari, Fiat, Lancia, Maserati, Alfa Romeo) poderá fundir as duas companhias, compartilhar mais projetos para ter economia em escala, conseguindo, assim, maior liquidez. A posse de pouco mais da metade das ações da Chrysler já salvou as finanças da Fiat nos últimos anos.

Não se pode negar também que dando este passo a Fiat se torna um dos maiores grupos automotivos a nível global, se aproximando de Volkswagen, Toyota e General Motors.