Com melhor posicionamento de preços que o Tiggo 5X, a CAOA Chery espera vender 500 unidades por mês do Tiggo 7. SUV tem motor 1.5 Turbo e boa lista de equipamentos de série
Tiggo 7
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Por Marlos Ney Vidal (*)
De São Paulo (SP)

O CAOA Chery Tiggo 7 nem de longe lembra os primeiros modelos da marca chinesa que iniciaram a trajetória da marca chinesa no Brasil. O SUV tem linhas harmoniosas e desenho cativante, boa lista de itens de série, construção acertada e um conjunto mecânico satisfatório.

Tiggo 7
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Desafio

O grande desafio do Tiggo 7 no mercado brasileiro será quebrar a desconfiança do consumidor brasileiro em relação os carros chineses. Para isso, a CAOA Chery, nas palavras de um executivo, está investindo pesado em comunicação e publicidade para despertar a curiosidade do consumidor. O caminho será longo, mas, a marca está investindo pesado para melhorar o pós-venda, mas, também terá que ficar de olho e trabalhar para que seus modelos não tenham desvalorização exorbitante frente as marcas tradicionais.

Tiggo 7
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Preços

Vendido em duas versões, o Tiggo 7 ficou com melhor posicionamento de preços no mercado frente aos concorrentes que o Tiggo 5X. Na versão T, o SUV tem preço sugerido de R$ 106.990 e na topo de linha TXS, ele é ofertado por R$ 116.990.

De série

Desde a versão de entrada, o Tiggo 7 se destaca pela lista de equipamentos farta. Desde a versão de entrada T, ele vem equipado com central multimídia com tela sensível ao toque de 9″ com espelhamento de Android e Apple Car Play, navegação GPS em 3D, direção elétrica, ar-condicionado digital de uma zona, volante multifuncional revestido em couro, roda de liga leve de 17″, piloto automático entre outros.

Já a versão TXS vem com todos os itens da anterior e agrega bancos revestidos em couro, câmera de visão 360, rodas de liga leve de 18″, teto solar elétrico panorâmico, entre outros itens.

Segurança

Entre os equipamentos de segurança, o Tiggo 7 na versão T conta com os obrigatórios Freios ABS com EBD e os airbags frontais. Na opção de entrada ele ainda é equipada com alarme antifurto, assistente de aclives (HAC), assistente de freios (EBA), cinto de três pontos e apoios de cabeça para todos os ocupantes, controle de estabilidade, controle de tração, ISOFIX, entre outros equipamentos.

A versão topo de linha conta com todos os itens e agrega airbag de cortina e airbag lateral para motorista e passageiros.

Tiggo 7
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Acabamento

Andamos na versão topo de linha TXS, na unidade avaliada, o acabamento do Tiggo 7 é honesto para o seu segmento. Os bancos são revestidos em couro, o painel é construído em plástico sensível ao toque e conta com uma faixa de couro em sua extensão. Já os forros de porta dianteiro são construídos com o mesmo material do painel e os apoios de braço são revestidos em couro. Já os traseiros, a CAOA Chery está seguindo a escola dos demais fabricantes e o forro é de plástico rígido, mas, mantém o revestimento de couro nos apoios de braço.

No geral, o acabamento do Tiggo 7 está na média dos concorrentes. Não há falhas de montagem e os encaixes são bons.

Tiggo 7
Foto | CAOA Chery/Divulgação

Conforto

Os bancos dianteiros do Tiggo 7 acomodam bem os ocupantes, a aba para segurar os ombros dos ocupantes cumpre seu papel. Para o condutor, o SUV fica devendo ajuste de profundidade da coluna de direção. O ar-condicionado de duas zonas na versão TXS e com saída para o banco traseiro resfria bem o ambiente. Já as saídas de ar centrais deviam contar com a opção de fechamento para aqueles que não querem o ar direto no resto.

Tiggo 7
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

O volante tem boa pega e com comandos multifuncionais facilita a vida do condutor.

Na parte de trás, o espaço para a pernas é bom e dois ocupantes se acomodam bem. Já o assento do banco é baixo e não consegue oferecer bom apoio paras as pernas. Em viagens longas se tornará cansativo. O assoalho plano facilita a vida do passageiro do meio.

Escorregadas

O quadro de instrumentos lembra o do Tiggo 2 e tem visualização ruim, principalmente o conta-giros. Mesclando informações analógicas e digitais, a marca poderia ter optado por uma melhor distribuição dos elementos e ter aproveitado a tela de TFT de 4,8”.

A central multimídia de 9” não é intuitiva e o touch não afiado, tivemos dificuldades em comandar o ar-condicionado. O posicionamento também não é o ideal, instalada mais “deitada” no painel a visualização é péssima por conta dos reflexos do Sol. Conversando com um executivo da marca, sugerimos que ela tivesse um posicionamento mais vertical que deve melhorar muito sua leitura.

Outra mancada é posicionamento da tecla ECO e Sport do câmbio que fica junto aos comandos do ar-condicionado.

Tiggo 7
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Tamanho

O CAOA Chery Tiggo 7 tem 4,50 metros de comprimento, 1,87 m de largura, 1,67 de altura e 2,67 m de entre-eixos. O porta malas tem capacidade para 414 litros de bagagem.

Motor

O Tiggo 7 é equipado com motor 1.5 Turbo Flex e transmissão automatizada de dupla embreagem (DCT) de seis velocidades. O propulsor tem potência máxima de 150 cv / 147 cv (Etanol/Gasolina) a 5.500 rpm e torque máximo de 21,4 kgfm (Etanol /Gasolina).

Ângulos de ataque e saída

O Tiggo 7 tem 21 centímetros de altura livre do solo. O ângulo de ataque é de 24,7° e o de saída é de 29,5°.

Tiggo 7
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Andando

Com quatro ocupantes que se dividiram ao volante do Tiggo 7 de São Paulo a Cabreúva, o conjunto mecânico do Tiggo 7 se mostrou satisfatório. O motor 1.5 consegue de certo modo empurrar os 1.400 quilos do SUV, porém, sem empolgação. O casamento com o câmbio DCT é bom e as trocas de marcha são quase imperceptíveis. O isolamento acústico do motor é bom e quase não se escuta o motor trabalhando mesmo e rotações mais altas. Em asfalto liso, a suspensão foi pouco exigida, mas, demonstraram ter boa calibragem, tratando bem os ocupantes.

(*) O jornalista viajou à convite da CAOA Chery.

Siga nossas redes sociais