O lançamento é do Fox Bluemotion 1.0, mas o carro em si está em segundo plano neste caso. Quem merece destaque é o novo motor de três cilindros 1.0l da família EA211, que está em nossa pauta faz algumas semanas. Ou melhor: . Este motor, produzido em São Carlos (SP) é agora o motor mais moderno fabricado pela Volkswagen no País.

Desenvolvido sob as tecnologias que visam a economia de combustível, que a Volks rotula como BlueMotion Technologies, este novo motor 1.0 consegue ser até 17% mais eficiente que o antigo, da família EA211, e ainda por cima é mais potente. São 75 cv a 6.250 rpm, quando abastecido com gasolina, e 82 cv à mesma rotação, com etanol. O torque máximo é de, respectivamente, 9,7 kgfm (gasolina) e 10,4 kgfm (etanol), sempre entre 3.000 rpm a 3.800 rpm. Mas 85% disso dá as caras a partir de 2.000 rpm.

O motor se vale de recursos que diminuem o atrito entre seus componentes, a vibração, facilitam a admissão de ar, aumentam a durabilidade de todo o sistema e diminuem seu peso – este motor é 24 kg mais leve que o anterior. Tudo isso contribui para um melhor aproveitamento energético. Ainda entram em cena alterações no design que melhoram sua aerodinêmica e nos pneus, de atrito reduzido. Até a direção hidráulica foi substituída por um conjunto eletrohidráulico para liberar o motor, o que melhoraria o consumo em 3%. E vale lembrar que ele elimina o uso do tanquinho de partida à frio.

Os números são muito bons para um motor aspirado, e isso parece resultar em um melhor desempenho. Os números da VW apontam para um 0 a 100 km/h em 13,5 segundos e atinge velocidade máxima de 166 km/h com gasolina, que melhora com etanol: 13,2 segundos para a aceleração de 0 a 100 km/h e 167 km/h de velocidade máxima. Isso mesmo tendo a transmissão MQ200 relações 10% mais longas.

E o consumo? A Volkswagen declara, sob medições no padrão Inmetro, consumo de 8,8 km/l na cidade e 9,9 km/l na estrada, com etanol, passando para 12,7 km/l e 14,4 km/l, respectivamente, quando abastecido com gasolina. São bons números para um 1.0.

Assim como as demais versões do Fox, a BlueMotion traz a nova arquitetura eletrônica, mais moderna, airbags frontais, freios ABS (Antilock Brake System, ou Sistema Antitravamento dos freios) com EBD (Electronic Braking Distribution, ou Distribuição Eletrônica de Frenagem), sistema ESS (Emergency Stop Signal ou Sinal de Frenagem de Emergência), computador de bordo com barra gráfica que indica o consumo instantâneo de combustível, direção eletro-hidráulica, banco do motorista com regulagem de altura e conta-giros.

E no fim das contas o preço é até legal: R$ 32.590 para o duas portas e R$ 34.090 para o quatro portas, ou seja, são apenas R$ 750 mais caros que o Fox 1.0 normal, que permanecerá em linha com o velho – e nem tão valente – motor 1.0 8v de quatro cilindros.

Fotos | Volkswagen/Divulgação