Quando avaliamos a Space Cross, no último mês de setembro (veja ), detectamos uma dualidade no acabamento interno: no habitáculo, a perua foi aprovada, mas recebeu críticas quanto ao porta-malas, que apresentava várias peças de lataria à mostra. Com o primo Voyage, a história é parecida…

Na cabine, o resultado geral é satisfatório. O painel recebeu melhorias discretas na linha 2013, que se resumem à adoção de apliques prateados nos difusores de ar, pintura bicolor e um novo aparelho de som, em plástico preto brilhante. As linhas continuam simples, mas até aqui não temos muito do que reclamar: as peças têm bons arremates, sem rebarbas ou vãos irregulares. Os revestimentos são confeccionados em plástico rígido, material padrão na categoria em que o Voyage está inserido, com diferentes texturas e aparente resistência a riscos.

Nas forrações das portas, um deslize: tampinhas plásticas cobrem as furações onde, nas versões mais simples, localizam-se as manivelas para movimentar os vidros.  Ao menos há faixas de tecido posicionadas acima dos descansos de braço. Por falar em tecido, os bancos da versão Comfortline têm revestimento agradável, com material que, embora sintético, é macio e suave ao toque. No exterior, o Voyage satisfaz, com vãos nivelados nas portas, capô e tampa do porta-malas.

No porta-malas, as coisas pioram. A tampa não tem revestimento interno, mas essa falha é até perdoável dentro da categoria do sedã. Menos tolerável é a ausência de carpete na parte posterior do encosto do banco traseiro, deixando a lataria vulnerável a cicatrizes provocadas pelo movimento de malas e outros tipos de carga. Mas o mais grave mesmo é a chapa inteiramente desprotegida no batente da tampa, onde, muitas vezes, a bagagem é apoiada antes de ser colocada no compartimento. Ali, o surgimento de arranhões e outros danos é praticamente certo. Nas laterais, há forração apropriada.

Durante a avaliação da Space Fox, citada no primeiro parágrafo, dissemos que o porta-malas tinha acabamento incoerente com o restante do veículo. As mesmas palavras podem ser aplicadas na íntegra ao Voyage. A Volkswagen tem conseguido resultado satisfatório em termos de habitáculo, mas parece ter se esquecido dos bagageiros dos modelos derivados de compactos…

Continue acompanhando nossas impressões sobre o Volkswagen Voyage. Ao final, como sempre, publicaremos a avaliação completa.

Fotos | Marlos Ney Vidal e Alexandre Soares/Autos Segredos