Com bom desempenho, Chevrolet Montana 1.4 Arena agrega equipamentos de série, mas será substituída

Bruno Freitas/

Especial para o Autos Segredos

O mercado de picapes pequenas passa por uma reviravolta. Se antes a Montana tinha como maior obstáculo a líder de vendas Fiat Strada, agora ela também terá que encarar a nova geração da Volkswagen Saveiro e a inédita Peugeot Hoggar. Para esta verdadeira escalada de mercado, a Chevrolet decidiu apostar em novas versões com mais conteúdo. A 1.4 Arena, avaliada por e que parte de R$ 36.601, é uma delas.

No design, quase nada mudou. Foram aplicados faróis de máscara negra e faixas decorativas nas laterais. As rodas de alumínio e o santantônio, por exemplo, são os mesmos da época do lançamento, em 2003. Ainda sim o conjunto agrada, transmitindo sensação de robustez – um dos principais atributos estéticos da picape Chevrolet.

Não espere muito espaço no interior. A cabine é simples e, dependendo da posição dos assentos, nem dá para levar pequenas bagagens. Faltam regulagens de altura para o volante e banco do motorista. Igual ao do Corsa, o painel reúne conta-giros, relógio e quilometragem num pequeno visor digital. O acabamento excede pela quantidade de plástico, mas é de boa qualidade, com tecido cinza e azul também aplicado às portas.

Espaço para carga

A grande caçamba leva uma motocicleta ou materiais de construção, por exemplo, o que credencia a picape a ser utilizada tanto no lazer quanto no trabalho. Por isso, a lista de equipamentos de série é ampla, considerando a concorrência, e inclui ar-condicionado, capota marítima e direção hidráulica.

O motor 1.4 é outro grande argumento. Consome menos combustível que o 1.8, também flex, e, sem carga, garante desempenho favorável e com boas retomadas. Nas curvas, a traseira tende a sair para os lados, o que exige atenção. A aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 12,2 segundos e a velocidade máxima é de 170 km/h.

Embora competitiva, a Montana 1.4 Arena tem vida curta. A nova geração da picape, que passará a ser derivada do Agile, já foi confirmada pelo próprio vice-presidente do fabricante, José Carlos Pinheiro Neto, e chega às concessionárias no segundo semestre.

FICHA TÉCNICA

Chevrolet Montana 1.4 Arena

MOTOR – Quatro cilindros, flexível em combustível; potência de 99/105 cv a 6.000 rpm; torque máximo de 13,2/13,4 kgfm a 2.800 rpm

TRANSMISSÃO – Manual, de cinco velocidades

DIREÇÃO – Assistência hidráulica

SUSPENSÃO – Dianteira independente, do tipo McPherson, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora; traseira semi-independente com molas do tipo barril progressivas e amortecedores telescópicos hidráulicos

FREIOS – A disco na dianteira e tambor na traseira

RODAS/PNEUS – N/D

DIMENSÕES – 4,42 metros de comprimento; 1,64 m de largura; 1,45 m de altura; distância entre eixos de 2,71 m

PESO/CAÇAMBA – 1.161 kg; capacidade para 735 kg de carga

EQUIPAMENTOS

DE SÉRIE – antena no teto, ar-condicionado, brake-light, capota marítima, direção hidráulica, faróis de neblina, protetor de cárter, regulagem elétrica dos faróis, rodas de alumínio aro 14 e santantônio

OPCIONAIS (Vendidos como acessórios nas concessionárias) – Alarme, quebra-mato, rádio CD MP3, rodas de alumínio aro 15, ponteira de escapamento cromada, protetor de soleira, travas e vidros elétricos

GOSTAMOS

– Desempenho

– Suspensão

NÃO GOSTAMOS

– Ergonomia

– Espaço interno

PREÇO: R$ 36.601

Fotos Bruno Freitas/