SUVs compactos mais vendidos do Brasil atualmente,
Honda HR-V e Nissan Kicks travam duelo equilibrado
Comparativo Nissan Kicks versus Honda HR-V
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Por Alexandre Soares

Quem quer um SUV compacto encontra, atualmente, opções de vários fabricantes. Os produtos da Honda e da Nissan foram os mais vendidos da categoria nos dois primeiros meses de 2018: A liderança é o HR-V, com 7.474 unidades comercializadas no bimestre (3.874 em janeiro e 3.600 em fevereiro). No ranking geral de emplacamentos acumulados até o momento, ele aparece na 11ª posição. E advinha qual modelo vem em seguida? Sim, é o Kicks, o 13º do ranking, com 6.788 exemplares comercializados (3.331 em janeiro e 3457 em fevereiro). Curiosamente, eles têm aspectos técnicos bastante parecidos, além de ostentarem emblemas de marcas de origem japonesa.

Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Versões

No caso do HR-V, a versão avaliada é a EXL, penúltima da gama Honda (acima dela ainda há a Touring, cujo preço se afasta demais da faixa analisada no comparativo). Já o Kicks escalado para o teste é o SL, que, apesar de ser top de linha, ainda é R$ 6.410 mais barato que o rival; com um único pacote de opcionais (vamos detalhá-lo mais adiante), o Nissan ainda é R$ 4.010 mais em conta.  O comparativo baseia-se nos 12 itens que sempre balizaram os testes do Autos Segredos: desempenho, consumo, estabilidade, freios, posição de dirigir/ergonomia, acabamento, espaço interno, porta-malas, itens de conveniência, itens de segurança, conjunto mecânico e relação custo/benefício. O vencedor de cada quesito recebe um ponto e, quando há empate em algum deles, cada um leva 0,5. No fim, triunfa aquele que obtiver a maior soma. Confira:

1- Desempenho

O HR-V lança mão de um motor de maior capacidade cúbica, com 1.799 cm³. Por isso, tem mais potência e torque: são 140 cv a 6.500 rpm com etanol e 139 cv e 6.300 rpm com gasolina, além de 17,3 kgfm a 4.800 rpm e 17,4 kgfm a 5.000 rpm com os dois combustíveis, na ordem (é isso mesmo, o valor com o refinado do petróleo é maior que com o derivado da cana). Por sua vez, o Kicks é movido por um propulsor de 1.598 cm³, que, naturalmente, tem números inferiores: são 114 cv de potência a 5.600 rpm e 15,5 kgfm de torque a 4.000 rpm, com ambos os combustíveis.

Apesar de entregar menos potência e torque, o Kicks goza de menor peso: tem 1.142 kg, exatos 134 kg a menos que o concorrente. Ainda assim, na prática, o HR-V faz valer seu motor maior e entrega desempenho mais elevado, principalmente na estrada, onde encara subidas de serra e ultrapassagens com maior facilidade. O modelo da Nissan não chega a ser frouxo, mas exige que o motorista pise mais fundo e faça o propulsor trabalhar em giro mais alto nessas situações. Com passageiros e bagagem no veículo, essa diferença fica ainda mais perceptível. No trânsito urbano, porém, ambos se comportam de modo mais nivelado, com o modelo da Honda levando uma vantagem sutil.

  • Placar: HR-V 1 / Kicks 0
Comparativo Nissan Kicks versus Honda HR-V
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

2- Consumo

Se o motor 1.8 deu vantagem ao HR-V em desempenho, o 1.6 do rival, associado ao seu menor peso, venceu em consumo, aferido sempre com gasolina. Na cidade, ele cravou 10,5 km/l, enquanto o Honda não passou de 9,7 km/l. Em trajetos rodoviários, a diferença foi menor, mas ainda favorável ao Nissan, que alcançou 13,8 km/l, ante 13,2 do adversário. Curiosamente, vale destacar que, apesar de mais econômico, o Kicks tem autonomia de apenas 565,8 km, devido a seu tanque pequeno, de 41 l; o concorrente roda até 673,2 km sem reabastecer, graças ao seu reservatório de 51 l.

  • Placar: HR-V 1 / Nissan Kicks 1

3- Estabilidade

Nesse aspecto, os SUVs compactos se equivalem. Donos de um sistema de suspensão semelhante, independente do tipo McPherson na dianteira e semi-independente por eixo de torção na traseira, eles exibem uma calibragem bem parecida, com molas e amortecedores mais firmes, que faz com que ambos sejam bastante estáveis considerando a altura elevada da carroceria. O Honda utiliza pneus ligeiramente mais largos, na medida 215/55 R17, enquanto os do rival são 205/55 R17. Mesmo assim, em curvas, os dois se comportam de maneira muito semelhante, transmitindo bastante segurança ao motorista, com rolagem moderada da carroceria. Ambos só subesterçam após muito abuso.

  • Placar: HR-V 1,5 / Nissan Kicks 1,5

4- Freios

Ponto para o HR-V, que utiliza um sistema mais sofisticado, com discos ventilados na dianteira e discos sólidos na traseira; o concorrente é equipado com tambores no eixo posterior. Ainda que o Kicks seja significativamente mais leve, o que tende a favorecer as frenagens, e não chegue a decepcionar nesse aspecto, o SUV da Honda atinge a imobilidade em espaços mais curtos. Em ambos, a modularidade do pedal é adequada. Os dois têm ABS com EBD.

  • Placar: HR-V 2,5 / Nissan Kicks 1,5

5- Posição de dirigir/Ergonomia

Nos dois modelos, o motorista dirige em uma posição mais verticalizada, o que é comum em SUVs. Ambos têm comandos bem-posicionados e de fácil operação. O HR-V aposta em um cluster mais tradicional, com velocímetro e conta-giros analógicos e marcadores de temperatura do motor e de nível de combustível digitais, ao passo que o Kicks traz quase todos os instrumentos em uma tela de LCD configurável, com 12 modos de visualização; apenas o velocímetro é analógico. Apesar das soluções distintas, em ambos a leitura é clara e direta. A visibilidade traseira é ruim nos dois veículos, mas a largura exagerada das colunas C prejudica mais esse item no Nissan.

Tanto o Honda quanto o Nissan oferecem banco do motorista com regulagem de altura e coluna de direção com ajustes telescópico e de altura. Entre os poucos deslizes, os dois têm algo em comum: o volante de aro muito fino, que prejudica a pegada. Em ambos, as poltronas são confortáveis, mas as do Kicks apoiam ligeiramente melhor o corpo. No HR-V, o botão para manusear o computador de bordo está posicionado no próprio cluster, solução arcaica e desnecessária, já que o modelo é equipado com volante multifuncional, que poderia incluir tal função. No rival, faz falta um apoio de braço central para o motorista, indisponível em toda a linha.

Porém, a maior falha ergonômica é do SUV da Honda: as entradas USB e para iPod mal-localizadas, em uma espécie de andar de baixo do console central. Essa solução pode até causar um bom efeito visual, fazendo com que o componente se assemelhe a uma ponte, mas o resultado prático é muito pouco funcional. No Nissan, por outro lado, esses itens têm fácil acesso, o que acaba desempatando o jogo e fazendo com que ele seja o vencedor em ergonomia/posição ao dirigir.

  • Placar: HR-V 2,5 / Nissan Kicks 2,5
Comparativo Nissan Kicks versus Honda HR-V
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

6 – Acabamento

Tanto o HR-V quanto o Kicks têm acabamento coerente com a categoria em que estão inseridos. O padrão de montagem é bom em ambos, sem desalinhamentos ou peças mal-encaixadas. O modelo da Nissan chama a atenção pelo revestimento em couro bege nos bancos, nos encostos de braço das portas e em uma parte do painel. O habitáculo do Honda é mais sóbrio, com predomínio das cor preta, mas tem alguns caprichos: painel, apesar de não ter acolchoamento, exibe material emborrachado em alguns locais, que também está presente na parte superior dos forros das portas. No console central, que, por ser mais elevado, acaba entrando mais em contato com os ocupantes, também há couro. Se, por um lado, o HR-V exibe mais materiais soft-touch em seu habitáculo, por outro os plásticos rígidos Kicks aparentam melhor qualidade, com menos brilho e menor aspereza ao tato.

Comparativo Nissan Kicks versus Honda HR-V
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Nas chamadas zonas cinzentas, com as quais o motorista têm contato mais eventual, os SUVs da Honda e da Nissan também se equivalem, com um deslize mútuo: o cofre do motor de ambos não é envernizado. Com tantas similaridades e pontos em comum, HR-V e Kicks empatam neste quesito.

  • Placar: HR-V 3 / Nissan Kicks 3
Comparativo Nissan Kicks versus Honda HR-V
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

7- Espaço interno

Os dois modelos têm habitáculos espaçosos. Em ambos, quatro adultos, mesmo de estatura elevada, viajam com folga para as pernas e para a cabeça. Nem o HR-V nem o Kicks têm largura suficiente para acomodar três passageiros confortavelmente no banco traseiro; porém, o modelo da Honda é ligeiramente mais amplo nesse quesito. Ele também leva vantagem por ter o assoalho traseiro praticamente plano. Por isso, acaba sagrando-se vencedor, por pouco, em espaço interno.

  • Placar: HR-V 4 / Nissan Kicks 3
Comparativo Nissan Kicks versus Honda HR-V
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos
Comparativo Nissan Kicks versus Honda HR-V
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

8 – Porta-malas

Neste item, os dois SUVs compactos são ainda mais parelhos. O HR-V tem um porta-malas de 431 litros (há mais seis abaixo do forro do assoalho, totalizando 437 litros), ao passo que o bagageiro do  Kicks tem 432 l sem subdivisões. Ou seja, há um verdadeiro empate técnico entre os dois. O sistema de rebatimento do banco traseiro do Honda, que movimenta ao mesmo tempo o assento e o encosto, é um pouco mais prático, mas o do Nissan, com modulação tradicional e divisão do tipo 1/3 e 2/3, também possibilita diferentes configurações e permite aproveitar bem o espaço interno para o transporte de carga.

  • Placar: HR-V 4,5 / Nissan Kicks 3,5
Comparativo Nissan Kicks versus Honda HR-V
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

9- Itens de segurança

Vantagem significativa do Kicks: ele traz série, a mais que o HR-V, airbags do tipo cortina (totalizando seis bolsas, enquanto o rival tem apenas as frontais e as laterais) e um pacote eletrônico mais completo, que inclui controle dinâmico em curvas (que regula a rolagem sobre os eixos) e estabilizador ativo de carroceria (que contém os movimentos do monobloco em vias onduladas), além do controle de estabilidade propriamente dito, que equipa os dois modelos.

O SUV da Nissan ainda oferece opcionalmente alguns itens que não são disponibilizados no concorrente da Honda, entre os quais alerta de colisão e assistente inteligente de frenagem. Esses equipamentos são vendidos juntos em um pacote batizado de Tech, que custa R$ 2.400 e inclui também faróis com assinatura em LED (não são DRLs).  No mais, ambos contam com ganchos Isofix para fixação de cadeirinhas, encostos de cabeça e cintos de três pontos para todos os ocupantes, faróis de neblina e assistente de partida em rampa.

  • Placar: HR-V 4,5 / Nissan Kicks 4,5

10 – Itens de conveniência

Ligeiramente mais equipado, o Kicks entrega, a mais que o HR-V, chave presencial com botão de partida, sensores de ré, acendimento automático dos faróis e sistema de câmeras com visão de 360° (muito útil em manobras, por sinal). O Honda também traz alguns itens inexistentes no concorrente, que são freio de mão eletrônico e controlador de velocidade de cruzeiro. Mas é só, o que faz com que o Nissan supere o rival neste quesito.

Vale ressaltar que muitos equipamentos estão presentes em ambos, entre os quais forração dos bancos em couro, ar-condicionado digital (de zona única), rebatimento elétrico dos retrovisores, direção elétrica, vidros, travas e retrovisores elétricos, central multimídia com tela touch de sete polegadas, volante multifuncional, rádio, CD e MP3 Player, entrada auxiliar para iPod, USB, Bluetooth e navegador GPS.

  • Placar: HR-V 4,5 / Nissan Kicks 5,5

11- Conjunto mecânico

O HR-V e o Kicks têm um setup muito parecido, a começar pela calibragem da suspensão, nitidamente voltada para rodar no asfalto; fora dele, o conjunto é um pouco barulhento, além de não conseguir absorver as imperfeições do piso. O SUV da Nissan é ligeiramente mais alto em relação ao solo, o que lhe dá um pouco mais de desenvoltura em vias rurais: tem 20 cm de vão livre, ante 17,7 do Honda. Ainda assim, tanto um quanto o outro entregam melhor dirigibilidade na cidade e em estradas pavimentadas.

Ambos os SUVs também são muito parecidos no sistema de câmbio: nos dois, ele é automático do tipo CVT, com simulação de marchas (sete no HR-V e seis no rival) e função Sport, que faz o sistema trabalhar em rotações mais elevadas. O Kicks traz ainda uma função Low, que faz a transmissão operar em uma faixa mais reduzida. Por outro lado, o Honda dispõe de um recurso inexistente no rival: paddle-shifts no volante para comandar o sistema sequencialmente. A tração é dianteira e nenhum dos dois conta com bloqueio de diferencial. O comportamento de ambas as caixas automáticas é suave.

Os dois modelos têm motores aspirados com bloco e cabeçote feitos em alumínio, quatro cilindros, 16 válvulas com duplo comando sincronizado por corrente e variação no tempo de abertura, mas só  Honda tem variação também no levantamento das válvulas de admissão (o conhecido sistema VTEC). Além disso, ambos contam com sistema de partida a frio sem tanquinho. Nos dois, o funcionamento é suave, sem asperezas mesmo em rotações elevadas.

Item no qual o HR-V é sensivelmente superior ao Kicks é no sistema de direção, que tem assistência elétrica em ambos. Nele, o sistema é ligeiramente mais progressivo, e ainda por cima tem melhor acerto, deixando o veículo mais “na mão” do motorista. É que o Nissan responde de maneira um tanto artificial aos comandos: não chega a ser ruim, mas está um pouco atrás do rival. Nos detalhes, a vitória neste quesito, que se mostrou bastante parelho, vai para o Honda.

  • Placar: HR-V 5,5 / Nissan Kicks 5,5
Comparativo Nissan Kicks versus Honda HR-V
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

12 – Custo/benefício

A Honda, estabelecida no país há mais tempo, goza de uma reputação já consolidada, ao passo que a Nissan ainda está construindo a sua. Porém, a julgar pelo bom desempenho comercial que os dois modelos vêm obtendo no mercado de carros novos, a tendência é de que eles mostrem-se bons de loja também depois de usados.  Vale lembrar que ambos são nacionais, o que, ao menos em tese, reduz os riscos de queda de fornecimento de veículos e de componentes: o HR-V é produzido em Sumaré (SP), e o Kicks, em Resende (RJ).

O sistema de assistência pós venda dos dois SUVs é idêntico: ambos oferecem três anos de garantia para seus produtos, mas com assistência 24 horas apenas por dois anos. Tanto no Kicks quanto no HR-V, as revisões são feitas a cada 10.000 km. Porém, só a Nissan divulga uma tabela com preços fixos pelos serviços até 60.000 km, que se alternam entre R$ 419 e R$ 575. A Honda não estabelece os valores que devem ser cobrados pelos serviços, deixando-os a cargo da rede autorizada.

Mais que os custos de manutenção tabelados, o que acaba sendo decisivo para a vitória do Kicks neste quesito é o preço de compra mais baixo: ele custa, na versão SL, R$ 96.490, enquanto o HR-V EXL sai por R$ 102.900. Mesmo equipado com seu único pacote de opcionais (que, vale lembrar, sequer é oferecido no concorrente, nem mesmo na versão top de linha Touring), que eleva o valor para R$ 98.890, o modelo ainda tem uma etiqueta de compra mais baixa que a do seu rival da Honda. Como isso não implica em menor conteúdo – pelo contrário, como foi mostrado ao longo da reportagem – o SUV da Nissan vence o comparativo.

  • Placar final: HR-V 5,5 / Nissan Kicks 6,5

Comparativo Nissan Kicks versus Honda HR-V
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Ficha técnica Honda HR-V EXL

»MOTOR
Dianteiro, transversal, a gasolina e etanol, quatro cilindros em linha com 81 mm de diâmetro e 87,3 mm de curso, 1.799 cm³ de cilindrada, 16 válvulas, 140 cv a 6.500 (g)/139 cv a 6.300 (e) de potência máxima, 17,3 kgfm a 4.800 rpm (g) / 17,4 kgfm a 5.000 rpm (e) de torque máximo.

»TRANSMISSÃO
Tração dianteira e câmbio automático CVT, com sete marchas simuladas

»ACELERAÇÃO  ATÉ 100 km/h 
Não informada pelo fabricante

»VELOCIDADE MÁXIMA 
Não informada pelo fabricante

»DIREÇÃO
Pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

»FREIOS
Discos ventilados na dianteira e discos sólidos na traseira, com ABS e EBD

»SUSPENSÃO
Dianteira, independente, McPherson; traseira semi-independente, por barra de torção

»RODAS E PNEUS
Rodas em liga leve aro 17, pneus 215/55 R17

»DIMENSÕES (metros)
Comprimento, 4,294; largura, 1,772; altura, 1,586; distância entre-eixos, 2,610; peso, 1.276 quilos;  altura em relação ao solo, 17,7 cm

»CAPACIDADES
Tanque de combustível: 51 litros; porta-malas: 431 litros;  carga útil (passageiros e bagagem): 464 quilos

Comparativo Nissan Kicks versus Honda HR-V
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Ficha técnica do Nissan Kicks SL

»MOTOR
Dianteiro, transversal, a gasolina e etanol, quatro cilindros em linha com 78 mm de diâmetro e 83,6 mm de curso , 1.598 cm³ de cilindrada, 16 válvulas, 114 cv de potência máxima a 5.600  rpm, 15,5 kgfm de torque máximo a 4.000 rpm com ambos os combustíveis.

»TRANSMISSÃO
Tração dianteira e câmbio automático CVT com seis marchas simuladas

»ACELERAÇÃO  ATÉ 100 km/h 
12 segundos (dado de fábrica)

»VELOCIDADE MÁXIMA 
175 km/h (dado de fábrica)

»DIREÇÃO
Pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

»FREIOS
Discos ventilados na dianteira e tambores na traseira, com ABS e EBD

»SUSPENSÃO
Dianteira, independente, McPherson; traseira, semi-independente, por barra de torção

»RODAS E PNEUS
Rodas em liga leve de 17 polegadas, pneus 205/55 R17

»DIMENSÕES (metros)
Comprimento, 4,295; largura, 1,760; altura, 1,590; distância entre-eixos, 2,610; peso: 1.142 quilos; altura em relação ao solo, 20 cm

»CAPACIDADES
Tanque de combustível: 41 litros; porta malas: 432 litros; carga útil (passageiros e bagagem): 421 quilos

Siga nossas redes sociais