Jetta R-Line é a versão topo de linha do sedã e vem equipada com muitos itens de conveniência e segurança. Transmissão automática de seis marchas, amplo espaço interno e algumas mazelas

Por Paulo Eduardo

Jetta é o sedã do Golf. É mais comprido, tem mais espaço interno pela distância entre-eixos maior e porta-malas bem maior do que o do hatch. Espaço interno amplo para perna e cabeça. Porta-malas imenso exige cuidado na abertura para evitar bater a cabeça na tampa que retorna imediatamente depois de ser levantada. Ajuste fino põe fim ao problema. Versão R-Line traz grade frontal e retrovisores na cor preta para se diferenciar das outras. Estilo do Jetta R-Line é arrojado para sedã e vidro traseiro na angulação suficiente para dar elegância de cupê na traseira. Conjunto é bonito.

Jetta
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Fácil de entrar

Acesso fácil aos bancos dianteiros e ao traseiro, apesar da caída do teto, sem precisar abaixar muito a cabeça.  Dispensa-se chave para entrar e dar partida, que é por meio de comando no console. Com forração em couro dos bancos, climatizar o habitáculo é compulsório. Esse tipo de revestimento não transpira. Vantagem é ser mais fácil de limpar. E dá elegância. Conforto, não!

Jetta
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Quadro de instrumentos digital com possibilidade de configurações diferentes. Luz ambiente com opção de dez tonalidades. Navegação nativa na tela multimídia tátil de oito polegadas e conectividade com Android, Apple Car Play e Mirrorlink. Painel central revestido com material emborrachado. Acabamento esmerado como na maioria dos produtos atuais da marca, com encaixes e arremates benfeitos.

Jetta
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Deslizes

Volante multifuncional é revestido com material liso, que permite deslize acidental. Tem boa pega. É muito boa a ergonomia em geral. A maioria dos comandos está ao alcance das mãos. O senão são os comandos dos vidros recuados na porta do motorista. Parece característica da arquitetura MQB. Motorista pode escolher entre quatro modos de condução: econômico (troca de marchas em rotação mais baixa); normal (ajustado pela fábrica); Sport (troca de marchas em rotações elevadas) e no individual, há opção de mesclar conforme preferência do motorista.

Segurança do Jetta R-Line

Entre os muitos itens de segurança – seis airbags, controles de tração e estabilidade, e bloqueio eletrônico do diferencial – existe o monitoramento frontal com sensor por radar que aumenta a pressão no freio, em caso de colisão iminente. Além disso, conta com frenagem de emergência na cidade abaixo de 30 km/h. O carro está equipado também com controle adaptativo de velocidade com frenagem de emergência. Assistente para farol alto funciona a partir de 60 km/h. O facho alto é desativado conforme tráfego em sentido contrário e à frente. Sistema evita ofuscamento.

Jetta
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Bom de dirigir

Carro fácil e bom de dirigir. Assentos têm bom comprimento tanto atrás quanto na frente. Bancos apoiam bem as pernas e tronco, apesar da ausência da regulagem lombar. Imprescindível em carro desse valor. Direção comunicativa, mas retorno ao ponto central deveria ser mais rápido. Diâmetro de giro maior (11,2 metros) requer manobrar mais em garagem apertada. Visibilidade boa de ¾ traseira com vidro vigia na coluna C. Retrovisores grandes e câmera de ré de boa definição.

Jetta R-Line
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Consumo

O câmbio automático retarda um pouco as trocas, que podem ser manuais por meio da alavanca, e não é imediata a reação no kick-down. Há demora perceptível, característica do automático com conversor de torque. Passado o instante de hesitação, ultrapassagens rápidas e seguras. Desempenho convincente, mas sem entusiasmar. Relação peso/potência é de 8,7 kg/cv. Volks declara mesmos números de torque e potência para os dois combustíveis. Com etanol, computador de bordo registrou média de 5 km/l na cidade e 10,5 km/l na estrada dentro dos limites previstos por lei.

Suspensão bem calibrada filtra a maioria das imperfeições. Pneus de perfil 55 têm boa altura de borracha. Recortes de asfalto são sentidos em intensidade tolerável. A suspensão traseira é eixo de torção. A multilink é reservada aos motores de maior potência. Inclinação da carroceria é moderada em curva, que o Jetta R-Line contorna muito bem. Comportamento dinâmico previsível com tendência sair de frente. Freios bons. Lavador/limpadores e faróis são eficientes. Garantia é de três anos sem limite de quilometragem e três primeiras revisões são gratuitas. Jetta R-Line tem preço sugerido de R$ 119.990 e com teto solar panorâmico, de R$ 124.980.

Ficha técnica Jetta R-Line

Motor
De quatro cilindros em linha, 1.395 cm³ de cilindrada, 16 válvulas, turbo, flex, de 150 cv de potências máximas a 5.000 rpm (etanol/gasolina) e torques máximos de 25,5 kgfm de 1.400 a 3.500 rpm (e/g)

Jetta
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Transmissão
Tração dianteira e câmbio automático de seis marchas com conversor de torque

Direção
Tipo pinhão e cremalheira com assistência eletromecânica; diâmetro de giro, 11,2 metros

Freios
Disco ventilado na dianteira, e disco sólido na traseira

Suspensão
Dianteira, independente, tipo Mc Pherson, barra estabilizadora; traseira, eixo de torção

Jetta
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Rodas/pneus
7 x 17” de liga leve/205/55R17

Peso
1.331 kg

Carga útil (passageiros + bagagem)
519 kg

Dimensões (metro)
Comprimento, 4,702; largura, 1,799; altura, 1,474; distância entre-eixos, 2,688

Jetta
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Capacidades (litro)
Porta-malas, 510; tanque, 50

Desempenho
Velocidade máxima (km/h), 208 (etanol/gasolina); aceleração até 100 km/h (segundos), 8,9 (e/g)

Consumo (km/l)
Cidade, 7,4 (e)/9,6 (g)/ estrada, 10,9 (e)/14 (g)

Siga nossas redes sociais