O novo Ford Fiesta mexicano tem um belo desenho, sendo que suas linhas lembram a de um modelo cupê. O motor 1.6 16V tem um bom desempenho, mas, vale ressaltar sua aspereza. Já a suspensão do modelo deixar a desejar no quesito conforto, pois, o fabricante optou por privilegiar a estabilidade. Por isso ela é um pouco dura. Confira abaixo o teste do novo sedã.

Daniel Ribeiro Filho (*)
Especial para o Autos Segredos

CLIMATIZAÇÃO É por comando manual. Não tem difusores de ar específicos para os passageiros de trás, nem opção de regulagem diferenciada de temperatura para condutor e passageiro. Sistema apresentou bom funcionamento e tem dois difusores de formato circular nas laterais do painel, que giram 360 graus, e dois fixos no centro, integrados aos comandos do som. A vazão de ar é boa e o nível de ruídos de funcionamento, satisfatório. É bem vedado. POSITIVO

FREIOS Apresentaram bom comportamento dinâmico, em geral. Pedal tem boa sensibilidade e o freio de estacionamento atuou normalmente. O ABS tem boa calibragem e mostrou-se eficiente. As reações são balanceadas nos dois eixos, com boa desaceleração e espaço percorrido até a imobilização coerente com a velocidade imposta. A resistência térmica, depois de uso severo em longa descida sinuosa, é boa. POSITIVO


CÂMBIO As relações de marchas estão muito bem definidas para este modelo, com essa motorização, proporcionando dirigibilidade agradável no uso misto, com poucas trocas e favorecendo a boa dinâmica do automóvel. A qualidade de engate é boa, em precisão, maciez, curso da alavanca e pega no pomo, além do posicionamento correto da mesma no túnel central. POSITIVO

VEDAÇÃO Boa contra água e poeira. POSITIVO

LIMPADOR DO PARA-BRISA Não tem sensor de chuva. Os esguichos são do tipo spray em V, com boa vazão e abertura, que ativam automaticamente as palhetas (de boa qualidade), que varrem uma área satisfatória. O acesso ao reservatório de água, instalado dentro do vão do motor, é fácil. POSITIVO

ALARME A chave de ignição é codificada e tem proteção perimétrica das partes móveis contra abertura forçada. Mas não tem proteção volumétrica dentro do habitáculo, contra invasão por meio de quebra dos vidros. Ao dar comando para travar as portas, por meio de controle remoto, instalado na própria chave de ignição, os vidros não sobem automaticamente. A porta do condutor tem função abertura/fechamento do vidro por um toque, e o sistema antiesmagamento atuou com precisão. POSITIVO

ACABAMENTO DA CARROCERIA Qualidade da pintura é razoável. As quatro portas estão desniveladas em alguns pontos, em relação à carroceria e entre si. O capô está descentralizado em relação à curvatura dos faróis, assim como a tampa do porta-malas em relação às laterais traseiras e lanternas. A montagem dos vários componentes (para-choques, retrovisores, pestanas dos vidros, guarnições etc.) é boa. As portas não têm friso protetor. REGULAR

VÃO DO MOTOR O resultado do isolamento acústico (lado interno do capô e parte do painel de fogo) é discreto, quando o motor está em alta rotação, transferindo para o habitáculo, causando desconforto auditivo. O capô tem bom ângulo de abertura. O acesso à manutenção de vários componentes é limitado, devido à pequena área do vão. REGULAR

ALTURA DO SOLO Mesmo em uma dirigibilidade normal, o defletor inferior do para-choque dianteiro toca com frequência o solo em saídas de garagem com desnível e ao transpor quebra-molas normais. Não tem proteção para o cárter e caixa de marchas, ambos construídos em alumínio. A carga útil homologada para o modelo é de apenas 375 quilos (cinco pessoas de 70 quilos mais 25 quilos de bagagem). REGULAR

MOTOR A performance é muito boa para a cilindrada e peso do veículo. Tem boa elasticidade e ausência de vibrações, mas apresentou aspereza significativa de funcionamento na faixa dos 3.500rpm. As retomadas de velocidade e aceleração são eficientes. O sistema flex funcionou bem e rende melhor com somente etanol, com 5cv de potência e 0,9kgfm de torque a mais, em relação quando se usa somente gasolina. REGULAR

SUSPENSÃO A estabilidade é boa no contorno de curvas de raios variados, com boa precisão, rapidez e inclinação moderada da carroceria. Numa condução mais esportiva, proporciona segurança e prazer. O conforto de marcha não é bom, por não conseguir filtrar bem as imperfeições do solo, passando para dentro, trazendo desconforto quando o carro roda sobre piso irregular. REGULAR

DIREÇÃO Coluna de direção tem regulagens em altura e distância, e o volante, boa pega. A assistência é elétrica, com cargas muito bem definidas para o uso urbano, com baixo esforço, agilidade e maciez em manobras; sendo firme em rodovias, com boa sensibilidade e resposta rápida. A caixa de direção é barulhenta, principalmente em baixa velocidade (máxima de 40km/h) sobre pisos irregulares, incomodando bastante. A velocidade do efeito retorno e o diâmetro de giro satisfazem. A pressão única dos pneus, com 32 libras (vazio ou carregado), merecia melhor desenvolvimento na definição da calibragem quando o carro roda somente com condutor, pois traria ganhos no comportamento dinâmico e conforto de marcha. REGULAR

ILUMINAÇÃO Tem luz de cortesia somente no porta-malas. Na zona do teto, há duas sessões, sendo uma junto ao retrovisor e outra atrás, para os passageiros, com lanterna central e dois spots fixos integrados, sendo bom o resultado em iluminação para a área do habitáculo. Os faróis são eficientes no baixo e no alto, com duplo refletor, mas não têm ajuste elétrico em altura nem auxílio de faróis de neblina. Falta sensor crepuscular e o quadro de instrumentos tem iluminação permanente. REGULAR

NÍVEL INTERNO DE RUÍDOS O efeito aerodinâmico é notório e crescente a partir de 100km/h e incomoda em alta velocidade, anulando o possível ganho com o para-brisa acústico especial. Os ruídos no habitáculo surgem ao trafegar sobre pisos irregulares. NEGATIVO

ESTEPE/MACACO Os pneus de uso têm medidas 185/60 R15, da marca Kumho Solos KH25 (made in China). No caso de avaria, trata-se de um pneu mais difícil de ser encontrado, trazendo desconforto e custo ao consumidor. Os pneus chineses homologados pela Ford são razoáveis, mas bem inferiores em handling, conforto e aspereza de rolagem que os nacionais. O estepe é específico para pequenos deslocamentos e com velocidade limitada a 80km/h, solução que não é prática e funcional no Brasil, devido à péssima qualidade de algumas vias, além de alterar completamente o comportamento dinâmico do automóvel e o ritmo da viagem. Os dois pinos rosqueados que fixam o macaco e o estepe poderiam ter rosca rápida, pois o curso é muito longo. O cabo da chave de rodas, que tem uma extremidade chanfrada, é muito longo e não permite retirar as quatro porcas com movimento de giro de 360 graus, pois toca o solo, atrasando a operação de troca. NEGATIVO

VOLUME DO PORTA-MALAS O declarado pela fabrica é de 440 litros, o mesmo encontrado com o banco traseiro na posição normal e tampa do porta-malas fechada.

(*) O autor do texto é engenheiro formado pela PUC Minas. Para contatos [email protected] (veja  o perfil profissional do Daniel)

Fotos Marlos Ney Vidal/Autos Segredos