Dirigir o Chevrolet Camaro é uma experiência inesquecível, afinal, não é todo dia que tenho a chance de guiar um ícone americano com seu belo motor V8 e os seus 406 cavalos de potência, pena que foi por pouco tempo, já que o experimentei quando ele estava disponível para testes na empresa onde trabalho. Dá gosto acelerar este muscle car, a sensação é que se pode acelerar e o fôlego do motor nunca chegará ao fim. Vale ressaltar que o esportivo acelera de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos e tem velocidade máxima limitada eletronicamente em 250 km/h. Outro destaque do Camaro é o câmbio sequencial com opções de troca no volante que permite uma condução com mais esportividade. O modelo ainda conta controles de estabilidade e de tração, para ajudar os motoristas, caso cometam algum excesso.

Porém, nem tudo são flores ao volante do modelo, confesso que já dirigi carros mais caros que os R$ 185 mil pedidos pelo Camaro. Entretanto, pela primeira vez fiquei incomodado ao circular com um carro chamativo como o esportivo nas ruas da capital mineira. A sensação ao volante do Camaro é que algumas pessoas se sentiam agredidas e que eu era mais um esnobe que estava tirando onda. Vamos aos exemplos: no primeiro um cara de moto passou ao meu lado e começou a buzinar e fazendo gestos de que eu estava com grana. No segundo, um cara a bordo de um Alfa começou a bater palmas. Porém, estas não eram pelo carro já que a cara do motorista não era nada amigável. Claro que nem todos os olhares foram de desaprovação, no estacionamento de um shopping uma mãe veio correndo para ver o esportivo, pois o filho queria uma foto com o Bumblebee. Outras simplesmente sorriam ao avistar o Camaro. Já para aqueles não ligam muito para o que se passa a sua volta e querem chamar a atenção o Camaro amarelo é a pedida certa, pois, por onde o esportivo passa todos os olhares se voltam para ele.

O espaço interno do Camaro condiz com seu objetivo esportivo e mesmo assim ainda oferece um bom espaço para o motorista e o carona que só passam aperto para entrar no carro devido ao teto baixo. Já para os ocupantes dos bancos traseiros, até mesmo as crianças terão dificuldade em se acomodar, em viagens então… Não me atrevi a sair sentado no banco traseiro, nem mesmo no carona, afinal, depois de estar no comando do volante do Camaro é difícil querer largar o volante. Meus companheiros de testes (Giza e João Pedro) não gostaram muito de ir atrás, o João Pedro mesmo no bebê conforto sentia o tranco a cada aceleração mais forte.

Por dentro o Camaro une a modernidade com o design retrô e tem um acabamento bem cuidado. O modelo conta com volante de três raios  com revestimento de couro e com regulagem de altura e profundidade. O quadro de instrumentos é de fácil visualização e é dividido em duas molduras quadradas. No mostrador esquerdo fica velocímetro e o marcador de temperatura do motor. Ao centro fica o computador de bordo. Já o da direita estão alojados o conta-giros e o indicador do nível de combustível. Na parte inferior do console central, ainda vão quatro outros marcadores em formato retangular, que medem a pressão e a temperatura do óleo, a voltagem da bateria e a temperatura do fluido da transmissão de marchas. Um ponto negativo do modelo é a alavanca do freio de mão que está localizada no lado direito do console central, o que dificulta seu acionamento.  Aliás, num modelo com tanta tecnologia embarcada, o acionamento do freio de estacionamento bem que poderia ser eletrônico…

Os bancos do Camaro foram desenhados para oferecer e conforto e a segurança para uma condução mais esportiva. Na versão SS, eles são revestidos em couro e tem oito regulagens elétricas para o motorista e duas para o do passageiro, além de contar com aquecimento.

Sempre que estou com carros de teste faço questão de rodar bastante com os modelos, afinal, só assim podemos conhecer os prós e contras de cada um. Com o Camaro não foi diferente segui a minha rotina e a noite sai com a esposa e um casal de amigos. Na volta para a casa por volta das 1h30 passei por um momento de susto. Estava manobrando modelo para entrar na garagem, quando estava com a ré engatada passou por mim um motoqueiro que ao ver o carro fez uma manobra brusca voltando em minha direção. Com isso acabei raspando o para-lama traseiro na parede e o barulho fez com o que alguns familiares que assistiam TV na sala saíssem para ver o que tinha acontecido. Neste momento o motoqueiro saiu em disparada, uma atitude mais do que suspeita, afinal, se o retorno foi para ver o carro, ele não teria que sair rapidamente. Se a intenção era ou não uma tentativa de assalto nunca saberei, mas, que o susto foi grande isso eu posso garantir. Passado o susto e com o carro já na garagem fui conferir o estrago que pode ser visto na foto abaixo. E, como disse o editor Henrique Rodriguez Alves, o Camaro amarelo parece o Bumblebee, mas não é…, afinal se fosse o robô-herói, um simples arranhão não deixaria marcas.

FICHA TÉCNICA
MOTOR
6.2 V8 gasolina que rende 406cv a 5.900rpm; torque máximo de 56,7 kgfm a 4.600 rpm

CÂMBIO
Automático sequencial de seis velocidades

SUSPENSÃO
Independente multi-link dianteira e traseira

DIMENSÕES/CAPACIDADE
Peso 1790.0 kg; entre-eixos 2.85 m; comprimento 4.83 m, largura 1.91 m e altura 1.37 m

PORTA-MALAS
320 litros

TANQUE DE COMBUSTÍVEL
71 litros

EQUIPAMENTOS
Ar condicionado; bancos com ajuste de altura; bancos com aquecimento; bancos em couro; bússola digital; CD player com MP3; computador de bordo; controle de tração; direção hidráulica; disqueteira; faróis de neblina; piloto automático; retrovisor eletrocrômico; rodas de liga leve e volante multifunções.

ITENS DE SEGURANÇA
Airbags frontais dianteiros; airbags laterais dianteiros; airbags laterais traseiros; alarme; barras de proteção; controle de tração; freios a disco; freios ABS; limitador de velocidade; travas elétricas; vidros elétricos.

Galeria

(Clique nas imagens para ampliar)

Fotos | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter